Carta: despedida.

quarta-feira, julho 08, 2015

Oi, amor.

Estou indo embora e não pense que estou indo feliz. Me dói ter que ir mas prefiro ouvir a razão e não o meu coração que só te quer e que só faz minha mente pensar em você. Me perdoe. 
Determinei que não ia mais amar ninguém, quero ficar sozinha. Mas veio você e mudou tudo. Mudou. E me deixou sem opção. Mas não posso, não quero. Eu não quero amar você.
Por outro lado, eu quero viver contigo, quero ter você segurando minha mão, me abraçando, me olhando nos olhos e estando comigo nos momentos bons e ruins. 
Eu te quero tanto, meu amor!
Mas tenho medo de me arriscar, de me jogar no abismo, nesse abismo que é você. Eu queria te pedir para ficar comigo para sempre, mas odeio promessas, pois muitas foram feitas a mim e poucas foram cumpridas. 
Me perdoe. Eu te amo.
Você nem sabe disso tudo, nem sabe que eu te amo -acredito. Mas estou indo embora. Você quer que eu fique? Por favor, diga-me que sim. Sou louca, eu sei. Me contradisse o tempo todo aqui neste papel. Me perdoe, meu amor. Fique comigo. Mesmo que seja só por alguns instantes, mas fique. Nem precisa prometer nada, só fique. 
Estou me despedindo de você.
Mas algo me prende aqui. O amor me prendeu a você. É tarde. Não consigo mais ir. Vou ficar aqui.


Acioli.

Veja também:

0 comentários