Longe.

by - segunda-feira, fevereiro 18, 2013

Longe enfim eu sempre me achei, sempre vivi e me encontrei. Injustiça de vida maldita e ingrata, me corta, me rasga, me faz te querer e te ter. Venha até a mim, meu coração desgraçado não me deixa te esquecer e viver assim é uma tortura.

Que amor é esse em cara? Fico aqui com o meu cigarro e o meu vinho, batom vermelho curto meu rock n’ roll pensando no devasso do prazer. Mais que prazer? Pois o único prazer que tenho na vida é quando te vejo passar na frente da minha loja de cds, livros e coisas antigas. Vem aqui seu peste, deixa pelo menos eu senti o teu tão doce e viciador cheiro. Mais você não vem, apenas vai pra longe. Tento ir com você, mais me perco nos seus passos longos, me perco e me canso ao te procurar novamente.
Sabe eu desisto! Quem sabe esse amor que sinto num é apenas destinado pela distância. Conformo-me agora e continuo aqui, vendo pelo menos você longe, mais acredite meu caro, longe apenas do meu corpo e do meu beijo porque longe dos meus pensamentos e do meu coração, NÃO isso nunca irá tão perto e presente em mim. Perto, será apenas o seu egoísmo em insistir de ficar longe do meu tão grande e puro amor por você. 

You May Also Like

0 comentários